Notícias



04/10/2018
Sindiex nas eleições: voto consciente e debates com os candidatos



Sindiex nas eleições: voto consciente e debates com os candidatos

O presidente do Sindiex, Marcilio Machado, manda uma mensagem aos agentes envolvidos no segmento de comércio exterior do Estado sobre as eleições. Confira o vídeo:

Debate

Apesar da melhoria na infraestrutura logística ser considerada uma pauta velha, o próximo governador do Espírito Santo terá uma missão: tirar do papel os projetos que se acumulam há anos para que o Estado não perca arrecadação com o fim dos incentivos fiscais, previsto para os próximos oito anos. Esse foi o tema que norteou as conversas entre os empresários do Sindiex e entidades do setor de comércio exterior com os candidatos Renato Casagrande (PSB) e Aridelmo Teixeira (PTB).

“O desafio começa hoje. Se não prepararmos, o Espírito Santo vai sofrer mais do que na época da Resolução 13”, disse o economista Aridelmo Teixeira, que esteve com os associados no último dia 06 de setembro. Ele ainda falou sobre a perda de competitividade do Estado, o atraso em infraestrutura, os investimentos de longo prazo em educação e do imbróglio do projeto da EF 118.

Com discurso de enxugamento da máquina pública e até mesmo processo seletivo para o secretariado, o candidato apresentou uma proposta que chamou atenção do empresariado: a utilização de créditos de ICMS (Lei Kandir) para incentivos internos após o fim do prazo da convalidação.  

O candidato Renato Casagrande, que esteve no Sindiex no último dia 12, pontuou suas propostas e ressaltou as dificuldades no desenrolar de alguns projetos relevantes para o segmento e que dependem, principalmente, do governo federal. “Acredito que a resposta mais rápida aos anseios do setor seja Barra do Riacho”, disse.

Ele destacou duas medidas urgentes, após questionamento sobre a falta de competitividade do Espírito Santo em relação a outros estados (como Santa Catarina, por exemplo) feito pelo presidente do Sindiex, melhorar o acesso e a retroárea do Porto de Capuaba e concentrar os esforços em Barra do Riacho. “Nós não temos muito tempo. Sei que há outros projetos portuários, mas temos que ter um sistema mais eficiente do que temos hoje em um prazo de sete anos”, reforçou.

Assuntos ainda como Aeroporto de Vitória, calado no Porto de Vitória, dificuldade de linhas marítimas, transbordo em outros estados, investimentos privados, entre outros, estiveram em pauta durante o encontro. As entidades solicitaram uma reunião com a equipe de transição do futuro governador do Estado para apresentação de projetos e desenvolvimento de ações em conjunto.

Rose de Freitas (Podemos) e Carlos Manato (PSL) foram também convidados para um encontro com os empresários do Sindiex e entidades do setor de comércio exterior do Estado, mas não conseguiram agenda.

 






Outras Notícias: